Suar emagrece? Conheça a ciência por trás do mito

imagem principal suar não emagrece

Suor é a gordura chorando.”

Infelizmente, isso é só força de expressão mesmo. Cientificamente, suar não tem nenhuma relação direta com a perda de gordura.

Subir na balança após uma atividade física intensa, na qual você transpirou muito, é pura ilusão. Primeiro, porque o peso por si só não quer dizer nada.

Segundo porque ele pode até estar menor na balança, mas o que você perdeu foi, na verdade, água e sais minerais.

Assim que você repuser a quantidade de líquido perdida, seu peso voltará ao normal. Aliás, é primordial se hidratar antes, durante e depois de atividades físicas. Isso evitará cãibras e mal estar.

Durante o exercício especificamente, não é bom ingerir muita água de uma só vez. Isso pode gerar sensação de inchaço e prejudicar o rendimento físico. Beba pequenas quantidades em curto espaço de tempo. Procure ter uma garrafinha em mãos.

Além disso,  se o tempo de duração do exercício for muito longo, é aconselhável trocar a água por uma bebida isotônica, rica em sais minerais.

Mas… De onde vem a confusão?

confusão.001

Se seu objetivo é emagrecer, isto é, perder gordura, com certeza você já ouviu a máxima de que é preciso gastar mais calorias do que se ingere diariamente.

Eu não concordo com isso, e neste artigo explico como os alimentos podem agir de formas diferentes em nosso corpo, pois nem todas as calorias são iguais.

Porém, com essa ideia de que é preciso queimar calorias, a prática de atividades físicas surge como uma forte aliada desse processo.

Não é preciso suar especificamente, mas, em geral, as pessoas transpiram realizando exercícios, principalmente aeróbicos. Daí a associação de que é preciso “suar a camisa” para perder peso, uma vez que suor e emagrecimento são consequências comuns da prática de atividade física.

Aliás, esse é um dos motivos que fazem as pessoas acreditarem que ficar horas e horas na esteira é a melhor forma de emagrecer.

Quando na verdade, a musculação não só é mais eficiente que o aeróbico clássico, como ainda ajuda a pessoa a se manter magra. Entenda como e por que isso acontece neste artigo.

Por que suamos?

Quando praticamos exercícios, aceleramos nosso metabolismo. Essa aceleração vem acompanhada de aumento da temperatura corporal e provoca calor.

A transpiração indica que nosso corpo ultrapassou a média de 36,5°C. Assim, as glândulas sudoríparas começam a agir para manter o equilíbrio da temperatura corporal.

Importância da Transpiração

shutterstock_204320818

Apesar de muita gente se incomodar com a transpiração, suar é um processo natural e benéfico ao corpo. Quando você sua, seu corpo sofre uma série de processos que permitem a liberação de toxinas por meios dos poros.

Como dito acima, a transpiração é o principal mecanismo para resfriar o organismo, que funciona bem a uma temperatura de aproximadamente 36,5°C.

Se o corpo ultrapassa 38°C, é porque algo está errado. Febre é uma reação do organismo a alguma anomalia.

Em geral, elevações de até 3° C não geram danos, mas variações de 5° C podem provocar disfunções no sistema nervoso central, como náusea, tontura e redução na taxa de transpiração.

Aumentos maiores, de até 8° C, podem causar lesões permanentes nas células e no cérebro, levando até a morte.

Portanto, suar é indispensável às reações e processos químicos normais que mantêm nosso corpo saudável.

» Leia também: O mito do gasto calórico: você realmente precisa fazer exercícios para emagrecer? (e se manter magra)

Suor e Mau Cheiro

cheiro ruim.001

Existem dois tipos de glândulas sudoríparas: as écrinas e as apócrinas. As primeiras regulam a temperatura do corpo e eliminam água e sais minerais através dos poros. Por isso, não exalam praticamente cheiro nenhum.

Já as apócrinas, localizam-se em regiões como axilas, área genital, em volta dos mamilos, pés e couro cabeludo, e eliminam o suor através de folículos capilares, e não dos poros.

Esse suor contém resíduos celulares e do metabolismo que podem produzir odores desagradáveis quando expostos a bactérias e fungos, especialmente em ambientes mais quentes, úmidos e escuros.

Ou seja, o suor não possui cheiro ruim. O odor desagradável só acontece quando ele entra em contato com bactérias ou fungos presentes na pele.

Sendo assim, o mau cheiro pode ser evitado, na maioria dos casos, apenas com higiene corporal.

Higiene Corporal: Boas Práticas para o Seu Bem-Estar

shutterstock_206658787

Obviamente devemos ter cuidado com a nossa higiene em qualquer circunstância, mas, ao praticar atividades físicas em ambientes coletivos, devemos redobrar esta atenção a fim de não causar mal-estar as outras pessoas e, claro, a nós mesmos.

Veja algumas medidas que podem ser adotadas para garantir uma higiene realmente eficiente, tanto para você como para os outros.

#1: Evite usar tecidos que absorvam muito o suor

Dê preferência a roupas leves e claras, que, especialmente em dias quentes, ajudam o corpo a não reter calor, por facilitarem a troca de temperatura com o ambiente.

#2: Tenha alguns itens sempre com você 

Caso fique muito tempo na rua, tenha um desodorante ou antitranspirante com você para casos de emergência. Os roll-ons são mais eficazes para evitar o suor. Falarei sobre cada um deles no tópico seguinte.

#3: Prefira sabonetes antissépticos em regiões de maior suor

No banho, dê preferência aos sabonetes antissépticos nas áreas que você for mais propenso a suar. Para o restante do corpo, os médicos recomendam o sabonete comum, que por si só já é antibacteriano.

#4: Seque bem a pele após o banho

Após o banho, seque bem a pele, especialmente a pele das axilas e entre os dedos dos pés. Se for preciso, use um secador de cabelo (temperatura morna)  para eliminar os vestígios de umidade, já que favorecem a proliferação de micro-organismos.

shutterstock_247244812

#5: Troque de roupa todos os dias

Troque de roupa todos os dias. Por mais que pareçam estar limpas, diariamente somos expostos a todo tipo de sujeira na rua, e até em casa.

Você pode estar limpíssimo, mas e todas aquelas pessoas no trem, metrô, ônibus, restaurante, banheiros públicos e etc? Não dá para garantir.

#6: Potencialize a lavagem das roupas

Atualmente, existem produtos que ajudam a eliminar os odores na lavagem da roupa. Uma receita caseira para isso é acrescentar 100ml de vinagre de vinho branco à água, junto com o sabão. A roupa não ficará perfumada, mas sim inodora.

Dica: caso você tenha usado a roupa por pouco tempo e precise usá-la novamente no dia seguinte, misture 100 ml de água, 200 ml de vinagre de vinho branco e 200 ml de álcool 70% e espirre em toda a roupa. Deixe descansar em um local fresco durante a noite.

#7: Livre-se do mau cheiro nos pés

Para quem sofre com chulé, sempre deixe os sapatos em lugares ventilados enquanto estão fora de uso. Prefira os calçados abertos, feitos com matérias-primas naturais ao invés dos fechados, produzidos com material sintético.

#8: Pelos – Depilação não é sinônimo de higiene, mas ajuda

A higiene está relacionada, em primeiro lugar, à limpeza da região, e não com a quantidade de pelos. É possível ter uma higiene excelente mesmo com a presença deles.

Mas o que se sabe é que os pelos naturalmente retêm a umidade, criando um cenário propício à proliferação de fungos e micro-organismos.

Como o odor não está ligado à transpiração, mas sim à presença de bactérias, a depilação ou aparo dos pelos pode ajudar a diminuir um possível odor desagradável.

Mas atenção: os pelos pubianos são um importante mecanismo de proteção dos genitais e a depilação total pode comprometê-lo.

#9: Procure ajuda profissional para casos mais graves

Se o odor da transpiração estiver se tornando inconveniente, fuja da automedicação. Consulte um dermatologista para orientar o tratamento.

P.S.: Ter um amigo sincero nessas horas também pode ajudar. Ser um amigo sincero também. Lembre-se: ninguém está livre de passar por isso um dia.

Atenção ao uso de desodorantes!

shutterstock_155473337

Você sabe a diferença entre desodorante e antitranspirante? Bom, enquanto o primeiro serve para combater ou disfarçar o odor nas áreas de maior sudorese, o segundo é utilizado para diminuir a quantidade de suor produzida pelas glândulas.

Só que mais importante do que saber o que eles fazem, é saber como isso acontece e tomar muito cuidado.

Os antitranspirantes (ou antiperspirantes) funcionam porque possuem compostos de cloreto de alumínio em sua composição, que agem como inibidores da transpiração.

O uso contínuo dessas substâncias pode levar ao acúmulo do metal nos tecidos humanos. O que é facilitado pelo uso da lâmina para depilação da axila, já que pequenos cortes e aberturas tornam-se porta de entrada para elementos externos, tais quais os complexos de alumínio.

Consequências do acúmulo de alumínio no corpo:

alumínio.001

Alguns estudo, como esse, apontam que o excesso de alumínio no organismo pode trazer consequências graves. Sua presença no cérebro está associada a dificuldades cognitivas e a doenças neurológicas degenerativas. E pessoas mais expostas ao alumínio têm a capacidade de memória e concentração diminuídas.

Mas o problema mais grave associado à presença de alumínio no corpo é o aparecimento do câncer de mama.

Ainda não há estudos conclusivos que comprovem essa relação de causa e efeito, mas o alumínio foi medido no tecido mamário humano com níveis superiores aos encontrados no sangue, sendo que ele não é um componente fisiológico da mama.

Além disso, uma pequena parte da população é alérgica ao alumínio e sua aplicação pode resultar em coceira, vermelhidão e inflamação da pele.

E o acúmulo de alumínio ainda pode ser prejudicial aos rins. Inclusive, há alguns anos a FDA (Food and Drug Administration) tem rotulado antitranspirantes com alertas contra seu uso por pessoas com problemas renais.

Outros irritantes potenciais incluem o zircônio e o propileno glicol, ambos ingredientes comuns em antitranspirantes.

A solução é procurar por marcas que não possuam alumínio, ou ainda, usar leite de magnésia como opção. Além de natural, ele é barato e eficaz. Você pode dar uma olhada nessa receita de desodorante caseiro da Bela Gil.

Suor Excessivo – Hiperidrose

shutterstock_134265122

Transpirar é algo comum a todos, mas a quantidade de suor liberada por uma pessoa depende de diversos fatores: se ela está realizando atividade, a intensidade e duração do exercício, umidade do ar.

Fora isso, idade, sexo, peso e temperatura ambiente também influenciam. Um indivíduo pode perder de 4,5 a 7,5 litros de suor por dia praticando atividade física. Em repouso, o valor diário costuma ficar entre 600ml e 1,5 litro.

Pessoas com sobrepeso ou obesas costumam suar mais porque a gordura atua como isolante térmico, isto é, dificulta a passagem do calor de dentro para fora do corpo.

Outros fatores estão associados ao aumento da transpiração, como:

  • Estresse e ansiedade;
  • Consumo de comidas muito condimentadas, apimentadas ou quentes demais;
  • Motivo secundário de outros problemas, como diabetes, hipertireoidismo, menopausa;
  • Consumo de álcool ou drogas;
  • Uso de termogênicos

Porém, quando a pessoa sua excessivamente e de forma imprevisível, é possível que tenha hiperidrose. Geralmente, ocorre nas mãos, pés e axilas, mas pode ainda se manifestar no rosto ou couro cabeludo.

Essa disfunção atinge cerca de 1% da população, seja por alguma doença ou por hereditariedade. Não é grave, mas pode gerar desconforto e constrangimento às pessoas. Até porque o estresse psicológico aumenta ainda mais a produção de suor.

Caso seja algo que incomode muito, é recomendável procurar por um médico. O tratamento para suor excessivo causado por hiperidrose costuma ser clínico ou cirúrgico.

Nos casos mais leves, podem ser indicados medicamentos orais e de uso tópico. A aplicação de botox também ajuda a controlar a sudorese.

Quadros mais graves podem ser resolvidos com cirurgia, que consiste na retirada das glândulas sudoríparas das axilas, ou de gânglios da cadeia simpática (simpatectomia).

Ausência de Suor

shutterstock_107483468

Há quem sue demais, mas também quem sue de menos. Anidrose é o nome que se dá a ausência anormal de suor, que pode ser parcial ou generalizada.

O sintoma mais comum é a própria ausência de suor, porém, raramente é percebida. Sensação de tontura e vertigem, corpo frio por fora e quente por dentro e cãibras em diversas partes do corpo também estão relacionados ao problema.

A função primordial da sudorese não é a eliminação de líquidos e sim a regulação da temperatura. Sendo assim, não há nada que substitua esta função no organismo (pois é, nem urinar).

A ausência de suor pode ser hereditária, mas isso é raro. Algo mais recorrente é a utilização de alguns medicamentos que podem provocar disfunção na capacidade de suar.

Pessoas em tratamentos para incontinência urinária e pressão alta, por exemplo, usam medicamentos que podem alterar o funcionamento das glândulas sudoríparas. Mas em geral o corpo volta a funcionar normalmente após interromper o uso da medicação.

Além disso, o envelhecimento é outro fator comum para a ausência de suor, pois aos poucos o organismo perde algumas capacidades, entre elas a de regular a temperatura.

Outras causas comuns são:

  • Doenças de pele que bloqueiam as glândulas sudoríparas
  • Cicatrizes
  • Trauma pós-cirúrgico das glândulas sudoríparas
  • Alterações neurológicas
  • Queimaduras de terceiro grau

Procure um médico caso você observe a ausência de suor e, principalmente, se tiver algum caso de anidrose em sua família.

» Leia também: Como perder gordura: 10 razões para abandonar o aeróbico tradicional e investir em treino HIIT

Suor Noturno

shutterstock_225298414

O suor noturno, mais frequente em homens acima de 40 anos, pode ser causado por vários motivos. Alguns mais banais, como quarto com pouca refrigeração, excesso de roupas/cobertores, ingestão de alimentos picantes antes de dormir e pesadelos.

Outros fatores, embora não sejam banais, podem ser resolvidos com maior facilidade, como:

  • Sintomas de menopausa ou menstruação;
  • Estresse e/ou ansiedade;
  • Desidratação;
  • Efeito colateral de algum medicamento

Recomenda-se procurar um médico se o suor vier associado a outros sintomas relacionado aos problemas acima. Ele poderá indicar um tratamento ou mesmo um simples calmante, dependendo da causa do suor.

Por último, e aí sim é motivo de preocupação, o suor noturno pode estar associado a:

  • Diabetes;
  • Linfomas e outros tumores;
  • Tuberculose;
  • Aids

Nestes casos, o suor noturno excessivo, que encharca a roupa e a cama, geralmente vem associado a outros sintomas, como febre, perda de peso, inchaço das ínguas, fadiga, coceira, tosse, escarro, falta de fôlego, palpitações, dores no peito e diarreia.

Para descobrir e resolver esses problemas, é preciso procurar por um clínico geral o quanto antes. Assim, a partir do diagnóstico correto, o tratamento adequado deve ser iniciado.

De qualquer forma, é sempre fundamental prestar atenção aos sinais que o corpo dá. Caso tenha algo anormal no organismo, isto se manisfestará de alguma forma mais cedo ou mais tarde.

Mas é claro que também devemos manter os exames em dia, pois prevenir é sempre melhor que remediar. 🙂

Suor Frio

suor frio.001

Atenção! Suar frio pode ser sinal de hipoglicemia, decorrente da queda dos níveis de açúcar no sangue.

Quando uma pessoa se submete a exercícios intensos, sem reserva de glicose, pode apresentar sintomas como sudorese fria, fraqueza e até desmaios.

Para evitar que isso aconteça, é muito simples: alimente-se antes de praticar atividades físicas. Caso seja uma atividade prolongada, coma algo durante o exercício também.

Só não se esqueça de procurar por um nutricionista para saber o que e o quanto comer, assim não irá pecar pelo excesso ou pela falta.

Suor x Urina:

suor e urina.001

Os componentes do suor e da urina são quase os mesmos. Fora a água, ambos contêm sais minerais, uréia, amônia e sulfatos. A diferença está na quantidade. A urina possui uma quantidade de uréia cerca de dez vezes superior à do suor.

Além disso, existe uma relação estreita entre a quantidade de suor e de urina que o organismo produz. No verão, por causa das altas temperaturas, suamos mais, logo, a produção de urina diminui.

Já no inverno, o organismo tem uma necessidade de menor de resfriar o corpo. Assim, a produção de suor diminui, sendo compensada por um aumento do volume urinário.

Concluindo…

Espero ter ajudado a desmentir um dos maiores mitos sobre atividade física e emagrecimento. Confesso que eu mesma, ainda quando malhava em casa, usava casaco pra poder suar mais.

Hoje, entendo que suar é fundamental, mas não adianta fazer sauna ou usar roupas mais quentes para malhar, pois o gasto calórico decorre da aceleração do metabolismo muscular e não do aumento da temperatura que, por si só, não acelera o metabolismo.

Além disso, suor excessivo, suor frio e suor noturno podem ser sintomas de algo mais grave. Então, por mais que a transpiração possa ser incômoda em algumas ocasiões, é fundamental não só para regular a temperatura, como também para indicar alguma alteração no corpo.

Por fim, lembre-se de se reidratar quando seu corpo perder muito líquido, seja na academia, ou mesmo no dia a dia. Uma desidratação continuada, ainda que leve, tem efeitos a longo prazo, seja a nível cardíaco, renal, respiratório ou digestivo.

Mas isso é assunto para outro post. 🙂

Você gostou desse artigo?

Se o conteúdo ajudou você a desvendar o mito de que suar emagrece, então compartilhe com seus amigos para que eles saibam também.

E para receber textos tão informativos como esse em primeira mão, cadastre seu email logo abaixo. É grátis!

Cadastre seu melhor email e receba gratuitamente as atualizações do Guia da Boa Forma!

Fontes:

» Se você deseja ler outros artigos sobre saúde e qualidade de vida, acesse a página Bem-estar.

  • Olha aí!

    Por muito tempo acreditei nesse mito: “suor é a gordura chorando”.

    Muito mais do que responder a pergunta “suar emagrece”, você vai além e fala sobre hiperidrose, suor noturno suor frio e muito mais.

    Os embasamentos científicos são ótimos para entendermos claramente como o suor e a temperatura corporal é importante para regular nosso corpo.

    Parabéns!

    Beijos!

    • Muita gente acha isso. Alguns até usam casaco pra se exercitar… Mas perder água e sais minerais é totalmente diferente de perder gordura.

      Aos poucos vamos desmistificando as coisas.

      Beijos!

  • Boa Cá!

    Não sou de transpirar muito, e já ouvi de algumas pessoas que isso era indicação que os exercícios não estavam fazendo efeito…rs

    Adorei a explicação! Parabéns!

    Ah, falei com minha mãe sobre a dica “Potencialize a lavagem das roupas”, vamos experimentar 🙂

    Beijos

    • Show, Priss!

      Eu conheço algumas pessoas que treinam pesado e quase não suam. Varia muito de pessoa para pessoa.

      Depois me diz se a lavagem ficou potencializada mesmo. Gosto de receber esses feedbacks.

      Beijos!